Corpos que falam: a dona da bola

Uma mulher negra com vestes de freira domina uma bola com os pés em uma quadra. Sobre o hábito ela veste o colete do time.
Fotografia de Eliária Andrade, preto e branco, s/d.

Poucas imagens poderiam ser mais significativas para rememorar o Dia Internacional da Mulher de 2021 do que “Freira jogando futebol em time das funcionárias do Hospital Santa Marcelina”, da fotojornalista Eliária Andrade.

Inicialmente, a imagem contraria as referências padronizadas sobre o que as mulheres devem ser ou vestir para praticar o futebol: a freira joga de hábito e, ao contrário do que se poderia imaginar, a vestimenta não impede os seus movimentos. Mesmo longa, a saia acompanha o chute prestes a acontecer, enquanto o véu contorna e destaca seu rosto, concentrado na ação.

Sobre o hábito, um colete a identifica ao time das funcionárias do Hospital Santa Marcelina. Semelhante a grande parte das mulheres que praticam o esporte, seu futebol está associado ao contraturno do tempo de trabalho, em finais de semana ou ao término de uma jornada – tal como aconteceu em outubro de 2012, quando as freiras marcaram uma partida, em uma terça-feira à noite, contra as engenheiras, auxiliares de cozinha e técnicas de enfermagem que trabalhavam na construção da Arena Corinthians.

Face à concorrência com o serviço doméstico ou outras atividades de cuidado, praticar o futebol é fazer uso das horas de descanso e de lazer reivindicadas por milhares de mulheres ao longo de todo o século XX. O Dia Internacional da Mulher, não se pode esquecer, é memória do conjunto dessas reinvindicações.

Mas além de freira e trabalhadora, a jogadora é também uma mulher negra. Por essa razão, sua imagem carrega ainda mais um significado, associado à centralidade dos corpos negros na cultura e na história das mulheres e do futebol no Brasil. Tão bem configurada por Eliária Andrade, a imagem é a síntese estética dessa presença, traduzida em leveza, precisão e movimento, algo que só craques possuem.

A fotografia integrou a Exposição Temporária “As donas da bola”, de 2015, que reuniu imagens de 11 fotógrafas sobre os futebóis jogados por mulheres em todo o Brasil. Veja a série completa de imagens em nosso Banco de Dados.

Saiba mais

  1. Saiba mais sobre a fotógrafa Eliária Andrade em nosso Banco de Dados e nesta matéria do Portal de Jornalismo da ESPM.
  2. O UOL noticiou o amistoso entre as funcionárias da construção do Estádio de Itaquera e as freiras. Veja aqui.

Diana Mendes
Coordenadora do Centro de Referência do Museu do Futebol

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support