Por dentro do acervo do Museu do Futebol: 80 anos do Pelé

Em 2020 o Rei do Futebol completou 80 anos! Nascido na cidade de Três Corações (MG), Pelé conquistou o mundo com seu futebol-arte e maestria no domínio na bola. Com apenas 17 anos de idade, conquistou seu primeiro Mundial – que foi também o primeiro do Brasil – e consolidou a imagem do brasileiro bom de bola. Edson Arantes do Nascimento completou a oitava década de vida em 23 de outubro e recebeu uma homenagem do Museu do Futebol. Além da exposição temporária Pelé 80 – o Rei do Futebol, aberta à visitação de outubro de 2020 a abril de 2021, o Centro de Referência do Futebol Brasileiro (CRFB), separou um compilado de imagens, livros e filmes que contam a história do camisa 10 da Seleção.

Pelé com jornalistas. Acervo Museu do Futebol | Coleção Thomas Mazzoni | Direitos Reservados

Coleções digitais

Das mais de 60 coleções digitais do acervo do Museu do Futebol, em 5 delas encontramos materiais que retratam o Rei, somando um total de 232 fotografias e jornais. As coleções advém de jogadores, jornalistas, fotógrafos e outros profissionais contemporâneos a Pelé, como é o caso de Julinho Botelho, Thomaz Mazzoni, Antônio Lúcio e Mário Américo. Há também coleções de fãs, assim como muitos de nós – é o caso da coleção de Sebastian Vasquez.

Com agasalho da Seleção Brasileira, Pelé domina uma bola com a cabeça.
Pelé brinca com a bola. Acervo Museu do Futebol | Coleção Thomas Mazzoni | Direitos Reservados
Jogadores da Seleção Brasileira olham pela janela de um ônibus pintado com "Circular Poços de Caldas" na lataria.
Pelé e Seleção Brasileira ficaram concentrados em Poços de Caldas (MG) antes do Mundial de 1958. Acervo Silvia Herrera | Foto Antonio Lucio.

Bibliográfico

A Biblioteca e Midiateca do Centro de Referência do Futebol Brasileiro possui 39 livros, entre biografias e catálogos, que abordam a trajetória de Pelé. Esses materiais foram em sua maioria publicados no Brasil, sendo os mais antigos “Eu sou Pelé” (parceria entre jogador e Benedito Ruy Barbosa), de 1961 e “Viagem em torno de Pelé” (de Mário Filho), de 1963.

Mas… vamos supor que você queira conhecer mais sobre a história do Rei e não tem tempo de ler todo esse acervo. Por onde começar?

Para te ajudar nessa missão, nós, da equipe do CRFB, destacamos quatro obras, todas importantes referências.

Pele toca violão ao lado de Ivair. Eles estão bastante sorridenters e vestem camisas da CBD.
Foto: Pelé com Ivair. Acervo Silvia Herrera | Foto Antonio Lucio
Capa do livro. Foto em preto e branco mostra Pelé de costas com camisa listrada em preto e branco descendo pelo túnel dos vestiários.
PELÉ. Pelé: minha vida em imagens. São Paulo: Cosac Naify, 2010. 150 p.

Em formato de scrapbook, esse livro traz fotografias, recortes de jornais e pôsteres de momentos marcantes na vida de Pelé: do gol mil ao retrato feito por Andy Warhol em 1977, do abraço em Muhammad Ali à despedida definitiva da Seleção Brasileira. A edição ainda conta com a lista de todos os jogos e gols feitos por Pelé, divididos por ano, data, time e adversário.

Capa do livro com uma foto em preto e branco de Pelé. Apenas a camisa amarela da Seleção está colorizada.
PELÉ [com DUARTE, Orlando; BELLOS, Alex]. Pelé: a autobiografia. São Paulo: Sextante, 2006. 298 p.

Tão difícil quanto marcar Pelé é escrever uma biografia sobre ele. E quem mais poderia contar essa história tão bem senão o próprio? Escrita de forma simples, quase como um bate-papo, essa autobiografia traz as alegrias e as inseguranças do maior jogador de futebol de todos os tempos, assim como aborda a sua carreira de enorme sucesso. Pelé não tem medo de tratar das suas angústias, suas brigas e questões familiares. Futebolista com o maior número de biografias publicadas, nenhuma delas contempla tão bem a vida do Rei quanto essa.

Capa do livro. Fundo Azul claro com foto de Pelé com a camisa amarela da Seleção em destaque
PINHEIRO, Domício (org.). Era Pelé: documento histórico-fotográfico da vida do maior jogador de futebol de todos os tempos. São Paulo: Seqüencial, 1984. 386 p.

A obra de 386 páginas é uma coletânea de imagens da carreira de Pelé feitas pelo “fotógrafo oficial do Rei”, Domício Pinheiro. Domício acompanhou Pelé durante grande parte de sua carreira e foi um dos principais fotojornalistas da Era de Ouro do futebol brasileiro.

Capa, com uma grande fotografia de Pelé tirando a camisa amarela da Seleção. O rosto dele está escondido sob a camisa.
DE VANEY. A verdade sobre Pelé: as fantasias, os exageros, o mito, as histórias de um desertor. São Paulo: Companhia Lytographica Ypiranga, 1976. 300 p.

Esse controverso livro foi publicado em 1976 pelo jornalista Adriano Neiva “De Vaney”, que acompanhava o Santos dentro e fora das quatro linhas. Seu objetivo era o de desmistificar a figura de Pelé, afirmando que muitos dos dados estatísticos e históricos do jogador estavam incorretos. O exemplar da biblioteca é uma das poucas cópias que restaram pois, semanas após seu lançamento, o material foi recolhido de todas as bancas de jornais. E até hoje não se sabe o motivo.

Além dos quatro livros listados, a Biblioteca possui os seguintes títulos:

  1. ARANTES, Thiago. Os dez mais do Santos. Rio de Janeiro: Maquinária, 2012. 184 p.
  2. BARBOSA, Benedito Ruy. Primeiro tempo. São Paulo: Magma Cultural, 2011. 320 p.
  3. BARBOSA, Gino Caldatto; MEDEIROS, Marjorie de Carvalho Fontenelle de; BARBOSA, Ney Caldatto. Museu Pelé: restauração e legado; Pelé Museum: restoration and legacy. São Paulo: Magma Cultural, 2014. 203 p.
  4. BARRETO, Marcelo. Os 11 maiores camisas 10 do futebol brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010. 256 p.
  5. BASTHI, Angélica. Pelé: estrela negra em campos verdes. Rio de Janeiro: Garamond, 2008. 196 p.
  6. CAMPOS JUNIOR, Celso de. As joias do Rei. Santos: Realejo, 2013. 189 p.
  7. CASTELLO, José. Pelé: os dez corações do rei. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004. 231 p.
  8. CASTRO, Marcos de; MAXIMO, João. Gigantes do futebol brasileiro. 2ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011. 450 p.
  9. CHAMOIN, Marcelin. Pelé & Garrincha: le roi et la joie du peuple. Paris: Edição do Autor, 2018.
  10. CLINE-RANSOME, Lesa. Pelé. New York: Atheneum Books for Young Readers, c2007.
  11. CORDEIRO, Luiz Carlos. De Edson à Pelé: a infância do Rei em Bauru. São Paulo: DBA, 1994. 128 p.
  12. CUNHA, Odir. Segundo tempo: de ídolo a mito. São Paulo: Magma Cultural, 2014. 320 p.
  13. DUARTE, Orlando; SEVERINO FILHO. Fried versus Pelé. São Paulo: Makron Books, 2001. 144 p.
  14. KOWET, Don. Pelé. New York: Atheneum, 1976. 129 p.
  15. MACHIN, Noel. Pelé, king of soccer. New York: Longman, 1984. 16 p.
  16. MARIO FILHO. Viagem em torno de Pelé. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1963. 353 p.
  17. MONTE ALTO, Cristiana; ZARVOS, Claudia (coord.). Pelé: a arte do Rei. São Paulo; Rio de Janeiro: MASP; Fundação Casa França-Brasil, 2002. 79 p.
  18. MORAES, Mario de. Futebol é arte: parte I. Rio de Janeiro: MIS, 2002.
  19. MOSTARO, Filipe. Garrincha X Pelé: a influência da mídia na carreira do jogador. Juiz de Fora: Autor, 2012.
  20. MUYLAERT, Roberto et al. Pelé 70. São Paulo: Brasileira, 2009. 162 p.
  21. NASSER, Carlos. Jogadores eternos: a história do futebol através de entrevistas. Ribeirão Preto: Novo Conceito, 2014. 240 p.
  22. PATARRA, Paulo (coord.). A Seleção Brasileira de todos os tempos. São Paulo: Abril, 1969. 164 p.
  23. PELE [com BARBOSA, Benedito Ruy]. Eu sou Pelé. São Paulo: Francisco Alves, 1963. 191 p.
  24. PELE [com CARBONI, Massimo Marconi]. Manual de futebol: dicas do Pelé. São Paulo: Melhoramentos, 2002. 120 p.
  25. PELE [com FISH, Robert L.]. My life and beautiful game. New York: Warner Books, 1977. 371 p.
  26. PELÉ [com MAZZEI, Júlio; CARBONI, Massimo Marconi]. Jogando com Pelé. Rio de Janeiro: José Olympio, 1974. 114 p.
  27. PELÉ [mit DUARTE, Orlando; BELLOS, Alex]. Mein leben. Frankfurt am Main: Scherz, 2006. 285 p.
  28. PELÉ; MORRISON, Frank. Por amor ao futebol!. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2010. 40 p.
  29. PELÉ; WINTER, Brian. Pelé: a importância do futebol. Santos: Realejo, 2014. 220 p.
  30. PELÉ; WINTER, Brian. Why soccer matters. Londres: Celebra, 2014. 304 p.
  31. POLIDORO JÚNIOR. Um jogo inesquecível: Avaí 1X2 Santos: 15 de agosto de 1972. Florianópolis: Mix Mídia, 2013. 79 p.
  32. SILVA, Ana Paula da. Pelé, o complexo de vira-latas: discurso sobre raça, modernidade no Brasil. Niterói: Eduff, 2014. 194 p.
  33. SOUZA, Denaldo Alchorne de. Pra frente, Brasil!: do Maracanazo aos mitos de Pelé e Garrincha, a dialética da ordem e da desordem (1950-1983). São Paulo: Intermeios, 2018.
  34. TREVILLION, Paul. King” Pele: an appreciation. Londres: Paul, 1971. 93 p.
  35. XAVIER FILHO, Sérgio (dir.). Pelé, o atleta do século. São Paulo: Abril, 2000. 215 p.

Trabalhos acadêmicos

Prefere uma leitura mais acadêmica?

O Rei também foi retratado em quatro trabalhos: um de conclusão de curso, uma dissertação de mestrado e duas teses de doutorado. Parte desse material está disponível em nosso banco de dados: https://dados.museudofutebol.org.br/.

  1. FONSECA, Ouhydes J. Augusto. Pelé, o gol contra: um discurso do poder. 1987, Dissertação (Mestrado) – Escola de Comunicações, Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo. 168 f.
  2. LIMA, Nelson. Dizendo no pé performance de brasilidade: Carmem Miranda e Pelé. 2001. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
  3. SILVA, Ana Paula da. Pelé e o complexo de vira-latas: discursos sobre raça e modernidade. 2008. Tese (Doutorado em Antropologia Cultural) – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 229 f.
  4. TRINDADE, Fernando; ORLANDO, Matheus Ramalho. Pelé X Bauru: a relação de amor e desamor entre o Rei do Futebol e a Cidade Sem Limites. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Jornalismo) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru. 155 f.

Midiateca

E se você quer mesmo é ver um filme com o Pelé?

Na Midiateca temos 9 títulos! De documentários que retratam a Copa de Mundo de 1958 a um filme sobre o New York Cosmos. De histórias sobre a trajetória do craque no Santos a uma superprodução com Sylvester Stallone e Bobby Moore. Aqui tem até o Pelé atuando como goleiro! E não, não estamos falando do jogo contra o Grêmio em 1964. Estamos falando do filme de 1986 “Os Trapalhões e o Rei do Futebol”.

  1. 1958: o ano em que o mundo descobriu o Brasil: a série. Direção: Pedro Asbeg. Rio de Janeiro: Palmares Produções e Jornalismo; TV Brasil, 2010.
  2. COLEÇÃO Copa do Mundo FIFA: Suécia 1958. Direção: Sammy Drechse. [S. l.]: Abril Coleções, 2010.
  3. FUGA para a vitória. Direção: John Huston. [S. l.]: Vintage, 1981.
  4. MENINOS da Vila: a magia do Santos. Direção: Kátia Lund. São Paulo: Canal Azul, 2014.
  5. O MUNDO a seus pés. Direção: Paul Crowder; John Dower. [S. l.]: Miramax Films; ESPN, 2008.
  6. OS TRAPALHÕES e o Rei do futebol. Direção: Carlos Manga. Rio de Janeiro: Europa Filmes, 1986.
  7. PELÉ eterno. Direção: Aníbal Massaini. São Paulo: Universal Pictures do Brasil, 2004.
  8. PRIMEIRO título mundial da Suécia: Copa do Mundo 1958: Brasil vs. Suécia: final, jogo completo. Direção: Carlos Marconi. São Bernardo do Campo: Telecinagem, 2018.
  9. SANTOS: 100 anos de futebol arte. Direção: Lina Chamie. São Paulo: Canal Azul, 2012.
Capa da Revista do Esporte com uma foto colorida de Pelé com a camisa do Santos e Juninho Botelho com a camisa do Palmeiras, abraçados amigavelmente.
Pelé e Julinho Botelho em capa da Revista do Esporte. Acervo Museu do Futebol | Coleção Julinho Botelho | Direitos Reservados

Fique por dentro! O Centro de Referência tem muitas histórias para homenagear o Rei Pelé! 

Dóris Régis e Ligia Dona
Equipe do Centro de Referência do Futebol Brasileiro.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support