Museu Amigo do Idoso

Com as mesmas premissas do Projeto Deficiente Residente, o Museu Amigo do Idoso buscou melhorias no atendimento ao público 60+ a partir do convívio e da troca de experiências entre idosos e profissionais do Educativo do Museu. Com esse intuito, ao longo de 2016, o Museu contou com dois idosos residentes trabalhando de forma remunerada na instituição: Maria Elisa Ferreira Franceschini, de 66 anos, de abril a julho, e Jorge Expósito, de setembro a novembro.

Maria Elisa,  moradora do bairro do CECAP em Guarulhos, município da região Metropolitana de São Paulo, não tinha formação acadêmica ou hábito de frequentar instituições culturais. O Museu do Futebol foi a primeira experiência profissional reconhecida financeiramente que exerceu. Já o Jorge, argentino, morador do bairro de Higienópolis, já era frequentador assíduo de ambientes culturais. Engenheiro, pai e avô, atua como consultor em uma fábrica de metais. A diferença entre os perfis selecionados tinha por objetivo promover o encontro com a maior diversidade possível de situações.

O projeto resultou em diversos produtos: cartilha de formação para novos orientadores, focada no olhar atento para o acolhimento do público idoso; formulário de pesquisa específico para o idoso que visita o museu, com o objetivo de avaliar o atendimento da equipe de orientação; e duas atividades lúdico-pedagógicas que propiciam ao público uma participação efetiva, afetiva e protagonista.

Galeria